Central de agendamento: (19) 3886.2444 | 3876.3435 | 3836.3839 | 3836.3894 | Facebook

ÁCIDO ÚRICO ELEVADO CAUSA INFLAMAÇÃO DAS ARTICULAÇÕES

Hiperuricemia é o nome que se dá ao índice elevado de ácido úrico na corrente sanguínea, ocasionado pelo aumento de sua produção e/ou redução de sua excreção pelo organismo. A sua prevalência cresceu nas últimas décadas e está associada à obesidade, síndrome metabólica, hipertensão arterial, insuficiência renal crônica, entre outros fatores. Sua principal conseqüência é a Gota, doença caracterizada pela inflamação das articulações, que sofrem com a deposição de cristais de ácido úrico.

Em síntese, as causas da hiperuricemia podem ser genéticas e/ou ambientais. Entre os fatores ambientais, a alimentação pode contribuir substancialmente para o quadro, representando um terço da produção de ácido úrico no organismo, como resultado da quebra de moléculas de purina, proteína presente nos alimentos. Como parte do tratamento, a terapia nutricional é recomendada, porém, pouco se sabe atualmente sobre a quantidade precisa de purinas presentes nos alimentos.

Pesquisas atuais sobre o tema recomendam seguir uma alimentação equilibrada, com baixa ingestão de carnes (especialmente a vermelha e frutos do mar), produtos delas derivados, como os embutidos, e restrição de bebidas alcoólicas (principalmente a cerveja). Alimentos de origem vegetal podem ser consumidos e a ingestão de laticínios com baixo teor de gordura deve ser estimulada, pois pode contribuir para a melhora do quadro. O consumo de água em abundância também é importante, pois auxilia na eliminação de ácido úrico pelos rins.

Devem ser contempladas na alimentação medidas nutricionais para o controle do peso adequado, da hipertensão arterial e de patologias da síndrome metabólica, visando combater os fatores de risco da hiperuricemia, como a obesidade.

Lembre-se! Dietas específicas e individualizadas devem ser orientadas em consulta com um nutricionista.

Fonte: https://www.einstein.br