Central de agendamento: (19) 3886.2444 | 3876.3435 | 3836.3839 | 3836.3894 | Facebook

ALIMENTOS INDUSTRIALIZADOS PODEM “ESCONDER” GRANDES QUANTIDADES DE SAL

Alimentos industrializados podem “esconder” grandes quantidades de sal

A quantidade máxima de consumo de sal por pessoa, recomendada pela Organização Mundial da Saúde (OMS), é de 5g por dia, o que equivale a uma colher de chá. No entanto, o brasileiro ingere em média 12g por dia. Para diminuir esse alto consumo, que coloca em risco a saúde das pessoas com hipertensão, devemos ficar atentos também ao sal “escondido” nos alimentos industrializados.

Sódio nas comidas e bebidas*

1g do sal de cozinha = 400mg de sódio

Macarrão instantâneo (85g) – 1951mg de sódio
Lasanha congelada à bolonhesa (325g) – 1734 mg de sódio
Carne seca (100g) – 1443mg de sódio
Bacalhau (100g) – 1256mg de sódio
Pão francês (50g) – 230mg de sódio
Torradinha para canapés (30g) – 268mg de sódio
Bolacha de grão integral (30g) – 255mg de sódio
Pão de forma integral (50g) – 234mg de sódio
Leite integral (200ml) – 130mg de sódio
Energético (250ml) – 100mg de sódio
Refrigerante tipo cola (200ml) – 10mg
Água mineral (500ml) – 55mg

*Valores médios das principais marcas comercializadas no Brasil

Embora muitas pessoas não saibam, é o sódio o mineral que ao ser consumido em excesso pode elevar a pressão arterial. O sal de cozinha é o alimento que mais contém sódio, cerca de 40%, mas muitos outros alimentos também são ricos em sódio (veja na tabela ao lado).

Os macarrões instantâneos estão no topo da lista seguidos pela lasanha congelada, carne seca e bacalhau. Até pães, biscoitos ou mesmo bebidas, como leite, refrigerante, energéticos e água mineral contêm sódio.

“As pessoas geralmente esquecem que os outros alimentos e até as bebidas também têm sal”, enfatiza o dr. Décio Mion, nefrologista responsável pelo setor de Monitorização Ambulatorial da Pressão Arterial no Sírio-Libanês e professor da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP).

Segundo o médico, as bebidas sozinhas dificilmente serão as responsáveis por exceder a quantidade máxima de sódio recomendada por dia, mas para quem costuma comer alimentos com muito sal, elas podem fazer a diferença no montante final. “É que alimentos salgados causam mais sede, que por sua vez pedem mais líquidos e por aí vai se consumindo mais e mais sódio”, comenta. “A combinação salgadinho com cerveja ou refrigerante é de alto risco para os hipertensos”, acrescenta.

Nas refeições, a dica é sempre experimentar a comida antes de salgá-la, pois elas geralmente são temperadas durante o preparo. Isso também vale para as frituras, como batata, polenta e mandioca.

Para o controle do consumo do sal de cozinha em casa, o dr. Mion sugere identificar o tempo que dura um pacote de 1kg do produto. Para uma família de quatro pessoas, que geralmente almoça e janta em casa, 1kg de sal deve durar mais de 40 dias. Se não ultrapassar esse período, provavelmente o consumo de sal está sendo maior que o recomendado.

Aqueles que quiserem seguir com mais precisão a quantidade diária de sódio ingerida podem somar o valor de cada produto, lembrando que o total máximo em sódio recomendado pelo OMS é 2400mg. Por exemplo, uma pessoa que, no café da manhã, comer um pão francês e tomar um copo de leite; almoçar uma lasanha congelada com refrigerante e jantar um macarrão instantâneo já terá consumido aproximadamente 3965mg de sódio, ou seja, quase o dobro do recomendado.

Além da hipertensão, o consumo excessivo de sal pode contribuir para o aparecimento de pedras nos rins e insuficiência renal, assim como aumentar as chances das doenças autoimunes, agravar a osteoporose, afetar o paladar e acelerar o envelhecimento.
Fonte: Dr. Décio Mion, nefrologista responsável pelo setor de Monitorização Ambulatorial da Pressão Arterial no Sírio-Libanês e professor da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP). https://www.hospitalsiriolibanes.org.br