Central de agendamento: (19) 3886.2444 | 3876.3435 | 3836.3839 | 3836.3894 | Facebook

COMO ESTÁ SUA MEMÓRIA ?

Você já parou para pensar sobre sua memória? Trabalho, compromissos, afazeres domésticos tornam nossos dias mais ocupados e muitas vezes nossa memória sofre reflexo disso.

A memória é a capacidade de adquirir, armazenar e evocar as experiências e os fatos já ocorridos. Pode sofrer influência de fatores como nível de consciência, interesse na informação, humor e atenção. Tudo que aprendemos depende da capacidade de memorização.

Na terceira idade é natural que a memória sofra um declínio, porém se dificultar a funcionalidade e autonomia é um sinal de alerta.

As queixas mais comuns são esquecer nomes de pessoas, não encontrar palavras, demorar mais tempo para aprender coisas novas, esquecer uma informação que acabou de ler ou ouvir, esquecer caminhos para chegar a determinado local.

A perda de memória pode estar associada a determinadas doenças neurológicas, a problemas metabólicos, a distúrbios psicológicos (como exemplo, a depressão), e também a certas intoxicações. A patologia mais frequente relacionada à memória é conhecida como demência, sendo a mais prevalente a Doença de Alzheimer, caracterizada pela presença de déficit progressivo na função cognitiva, com maior ênfase na perda de memória, e interferência nas atividades sociais e ocupacionais.

Dessa forma, quando as falhas na memória tornam-se frequentes e passam a atrapalhar seriamente o cotidiano, é preciso buscar ajuda de um especialista. É importante consultar um neurologista ou psiquiatra. E a depender do caso, fazer avaliação neuropsicológica, que investiga o funcionamento cognitivo através de testes e reabilitação cognitiva, que treina as funções afetadas e cria novas estratégias para compensar as dificuldades do indivíduo. Além disso, é importante orientação familiar com intuito de aprender a conviver com as novas limitações do paciente.

Considerando esses fatores, que tal cuidarmos melhor da nossa memória?

Siga algumas dicas:

  • Tenha uma alimentação saudável;
  • Pratique atividades físicas;
  • Evite o estresse;
  • Invista na boa qualidade do sono;
  • Estimule atividades mentais, como leitura. Utilize ao máximo sua capacidade mental;
  • Aprenda novas habilidades, por exemplo, estudar um novo idioma;
  • Faça atividades antigas de uma maneira diferente (ex: faça outro caminho para ir ao trabalho);
  • Interaja socialmente.

Somos aquilo que recordamos. O acervo das nossas memórias faz com que sejamos únicos. Para conservar ou aprimorar nossa memória, a melhor forma é exercitá-la! Vamos começar?!

Fonte:http://www.einstein.br/