Central de agendamento: (19) 3886.2444 | 3876.3435 | 3836.3839 | 3836.3894 | Facebook

CONHECENDO O CÂNCER DE PRÓSTATA

O câncer de próstata é a neoplasia maligna mais freqüente do homem, sendo responsável por mais de 30 % dos tumores malignos do sexo masculino. Estima-se que, no Brasil, um em cada seis homens irá ter diagnóstico do tumor prostático em algum momento da vida.

Apesar de comum, o mesmo é assintomático na sua fase inicial, por isso são importantes check-ups de rotina. Os sintomas urinários (jato lento, frequência aumentada etc.) geralmente são secundários a outra doença prostática comum, a hiperplasia da próstata, cujo crescimento é benigno e causa os sintomas por obstruir o canal urinário.

Até pouco tempo acreditávamos que substancias como o licopeno (tomate), o selenium (castanha do Pará) e outras diminuíam o risco do câncer de próstata. Hoje, sabemos que possuem pouca ou nenhuma influência. Ao que parece apenas a atividade física regular, o cuidado com a obesidade e a ingestão moderada de gorduras seriam fatores protetores.

O conceito moderno sobre prevenção fala sobre estratificação de risco para o câncer de próstata. Ou seja, homens com diferentes níveis ou fatores de risco devem ir ao urologista para realizar sua prevenção com periodicidades diferente. Se houver história familiar positiva (tio, pai, irmão ou avô com a doença), for obeso e o PSA (exame de sangue especifico da próstata) inicial for maior que 0,7 ng/ml, significa alto risco. Isso sugere a necessidade de uma avaliação semestral e o início da mesma até os 45 anos de idade. Caso não exista nenhum desses fatores, estamos diante de um homem com baixo risco. Nessa situação a avaliação pode ser feita a cada dois ou três anos e ser iniciada apenas aos 50 anos.

Quanto ao tratamento, a cada dia há tentativa de desenvolvimento de novas técnicas minimamente invasivas, com o objetivo de curar e preservar a qualidade de vida. Atualmente, o método cirúrgico que melhor congrega esses resultados é a Cirurgia Robótica. Já muito consolidada nos EUA e na Europa e em uma fase de franco desenvolvimento no Brasil.

Fonte: http://www.einstein.br/blog/Paginas