Central de agendamento: (19) 3886.2444 | 3876.3435 | 3836.3839 | 3836.3894 | Facebook

DOENÇAS DO VERÃO – COMO PREVENIR A CONJUNTIVITE

No verão os casos de conjuntivite costumam aumentar por dois motivos principais: a maior frequência de pessoas em ambientes abertos, que resulta em um maior contato físico, e as altas temperaturas que favorecem a proliferação de bactérias. Dr. Newton Kara Jr., oftalmologista do Sírio-Libanês, explica que o contágio da doença se dá pelo contato direto: a pessoa passa a mão no olho, depois toca em outra pessoa, que leva a mão ao olho. “Para prevenir, é importante evitar tocar nos olhos, lavar sempre as mãos, usar álcool gel e evitar compartilhar objetos como óculos e fronhas”. Ao detectar sinais como secreção, vermelhidão e irritação nos olhos, procure cuidado médico. “O tratamento varia de acordo com o agente causador da doença, vírus ou bactéria, além disso, os sintomas podem ser de outra doença, por isso, evite se automedicar”, orienta o médico.

O que é conjuntivite?

A conjuntivite é uma inflamação na conjuntiva, uma membrana que reveste o globo ocular e o interior das pálpebras. A causa pode ser viral (como registrada em grande parte das cidades que tiveram surto em 2018), bacteriana ou alérgica. Não é grave, mas é irritante e altamente contagiosa.

Quais os sintomas da conjuntivite?

Os olhos podem arder, coçar, lacrimejar, ficar vermelhos e com a sensação da estarem com areia. Ao acordar, é comum que fiquem grudados por causa de excesso de secreção. A conjuntivite, em si, não causa febre. Os sintomas costumam durar de 5 a 7 dias.

Como se pega?

Para pegar a doença, é preciso um caminho de ida e volta: primeiro, a pessoa com conjuntivite passa a mão no olho e toca em algum lugar, espalhando o vírus; depois, outra pessoa toca naquele mesmo lugar e passa a mão que ficou contaminada no olho. No caso da conjuntivite viral, “o vírus pode sobreviver por até duas semanas na superfície seca. Por exemplo, na haste do ônibus, no botão do elevador, no corrimão, na maçaneta. Por isso, a conjuntivite se transmite com facilidade”, explica o oftalmologista Abrahão Lucena, de Fortaleza. O contágio não se dá nem por ar, nem água.

Como se prevenir? 

A recomendação básica para evitar o contágio é não passar a mão nos olhos. Além disso, lavar as mãos com frequência, higienizá-las com álcool gel e não compartilhar objetos com pessoas contaminadas – como toalhas e lençois. Outra dica é que as pessoas com conjuntivite usem toalhas e lenços de papel descartáveis. Também vale higienizar as superfícies tocadas pelas pessoas com conjuntivite com água e sabão e depois álcool 70%.

Como tratar? 

Para quem já está com conjuntivite, os cuidados principais são limpar e umedecer os olhos com colírios lubrificantes – soro fisiológico, por exemplo. Dependendo do caso, o médico pode indicar anti-inflamatórios e antibióticos. Por isso, a recomendação é sempre procurar o médico, mesmo sendo uma doença simples – inclusive, se você trabalha ou estuda, vai precisar se afastar e o médico é quem vai dar o atestado médico.

Fonte:www. hospitalsiriolibanes.org.br

www.facebook.com/HospitalSirioLibanes