Central de agendamento: (19) 3886.2444 | 3876.3435 | 3836.3839 | 3836.3894 | Facebook

EXAME DE FUNDO DE OLHO PODE DETECTAR VÁRIAS DOENÇAS

 

Além de problemas oculares, a avaliação pode identificar outras enfermidades como diabetes e hipertensão arterial
Mulher fazendo exame de olho. Muitas pessoas não se dão conta, mas a visão é fundamental para o dia a dia. Segundo o oftalmologista e presidente do Einstein, Claudio Lottenberg, alguns cuidados com os olhos são muito importantes para prevenir doenças e até mesmo a cegueira.

Apesar de ser um exame simples, o teste de fundo de olho analisa as artérias, veios e nervos da retina e consegue detectar precocemente diversos tipos de doença. O aparelho que o especialista usa nesse exame é chamado oftalmoscópio, que projeta um feixe de luz no interior do olho e, através da reflexão dessa luz na retina, permite observar suas estruturas. Para facilitar e ampliar a visão da retina o médico geralmente usa um colírio que dilata a pupila ocular. Essa dilatação, se muito intensa, ocasiona uma fotofobia (aversão à luminosidade), que faz com que o paciente tenha que aguardar algum tempo antes de expor-se à claridade.

“A avaliação do fundo do olho permite não só o acompanhamento das doenças oculares propriamente ditas, como glaucoma ou tumores na retina, mas, sobretudo, uma visão acerca das manifestações de doenças sistêmicas como o diabetes e a hipertensão arterial. Nestes dois casos, por conta de achados de fundo de olho, temos a noção da evolução destas doenças e suas conseqüências no olho, que se não tratadas, podem trazer danos irreversíveis”, explica Lottenberg.

Existem ainda outras doenças que podem ser detectadas por esse exame, como alguns casos de doenças neurológicas, as hematológicas e infecções disseminadas.

O exame pode ser feito por pessoas de qualquer idade. De acordo com o oftalmologista, bebês, cujas mães tiveram infecções durante a gravidez, devem realizar a avaliação de fundo de olho para revelar a presença de tumores e doenças locais ou sistêmicas. Em adultos, o teste é importante para diagnóstico de doenças locais ou detecção precoce de outras enfermidades. Já em idosos, o exame pode detectar o surgimento de drusas na retina, que podem levar à cegueira e degeneração macular, próprias da idade.

Você pode gostar de:
Trauma nos olhos exige atendimento rápido
Quando tudo dói
“Todas as pessoas devem ser submetidas ao exame de fundo de olho, pelo menos uma vez por ano, principalmente aquelas que já passaram dos 40 anos de idade. Quanto mais cedo algumas doenças forem detectadas, mais chances de cura”, conclui Lottenberg.

Fonte: Claudio Lottenberg, oftalmologista e presidente do Einstein