Central de agendamento: (19) 3886.2444 | 3876.3435 | 3836.3839 | 3836.3894 | Facebook

EXERCÍCIOS ERRADOS AUMENTAM QUEIXAS DE DORES NOS OMBROS

​Conhecido como o país do futebol, o Brasil tem hoje mais pessoas que vão à academia do que praticam esse esporte, segundo pesquisa realizada em 2013 pela Universidade de São Paulo (USP). Das 53 mil pessoas ouvidas nessa pesquisa, aproximadamente 19% disseram fazer musculação, contra menos de 15% que disseram jogar futebol. Embora todas as atividades físicas tragam benefícios à saúde, o aumento de pessoas que fazem exercícios nas academias sem supervisão de um profissional qualificado pode estar contribuindo para o crescimento de lesões nos ombros.

Cuide bem de seus ombros

A maioria dos problemas do ombro pode ser evitada com medidas ergonômicas e exercícios físicos supervisionados.

  • Faça musculação sempre com orientação de um profissional qualificado.
  • Cuidado com o excesso de peso nos ombros.
  • Prefira as atividades físicas recreativas às esportivas.
  • Nunca se automedique.

A articulação do ombro, como todas as articulações dos membros superiores, se desenvolve e se adapta para ser uma articulação de função e não de carga, como são as pernas. No entanto, o excesso de peso sobre os ombros, comum quando a musculação é feita sem acompanhamento adequado, pode provocar inflamação dos tendões e da bursa (um tipo de bolsa líquida que reduz o atrito do tendão com o osso), levando à tendinite e à bursite, respectivamente. Em alguns casos, pode ocorrer também a tendinite calcária, um tipo de deposição de cálcio no tendão.

“Recebo mais pacientes hoje com dores nos ombros do que eu recebia há alguns anos”, conta o dr. Hélio Pires Leal, ortopedista do Núcleo de Ombro e Cotovelo do Hospital Sírio-Libanês. “E tenho observado que muitos desses pacientes se lesionam por conta de esforços físicos exagerados nos ombros”, acrescenta.

Além da musculação, outra atividade que costuma trazer danos ao ombro quando não realizada com cuidado é o ciclismo. De acordo com dados do Sistema Único de Saúde (SUS), dos 2.268 ciclistas acidentados entre 2009 e 2012, 63,1% simplesmente caiu.

“Ao cair da bicicleta, a pessoa bate a face, a cabeça e, principalmente, o ombro no chão, rompendo ligamentos que prendem a ponta da clavícula na parte superior da escápula (luxações acromioclaviculares), sofrendo fraturas na clavícula e na região superior do braço”, conta o dr. Pires Leal.

Esportes de arremesso, artes marciais e tênis também merecem atenção especial contra as lesões nos ombros.

Nas quedas, os obesos e os idosos são mais vulneráveis a sofrer danos no ombro, pois o peso do corpo e os desgastes na musculatura, respectivamente, tendem a ser maiores nessas pessoas.

Para descobrir a causa de qualquer dor no ombro, o exame clínico realizado pelo médico é o mais importante, pois avalia a localização do desconforto, o grau de limitação da movimentação e a presença de estalos (crepitações). Caso sejam necessários, exames de imagens suplementares, como raios X, ultrassom e ressonância magnética, podem ser indicados para confirmar o diagnóstico e avaliar a extensão do comprometimento.

Além dos acidentes e do envelhecimento do organismo, as tendinites crônicas e as movimentações excessivas da articulação do ombro também podem levar à ruptura dos tendões, presentes em toda essa região para ligar os músculos aos ossos dos braços. Quando isso ocorre, pode ser necessária a realização de cirurgia. A artroplastia, procedimento que substitui as partes dos ossos e a cartilagem que geram dor por uma articulação artificial ou prótese, é uma técnica constantemente usada nos ombros.

Fonte:www.hospitalsiriolibanes.org.br