Central de agendamento: (19) 3886.2444 | 3876.3435 | 3836.3839 | 3836.3894 | Facebook

Higienização de ar-condicionado previne infecção respiratória

Tem dias que são tão quentes que só mesmo um ar-condicionado para deixar a temperatura agradável. No verão, este aparelho, que ficou boa parte do ano desligado – em casa, no carro ou no trabalho – passa a ser usado todos os dias, impondo aos nossos pulmões um ambiente muitas vezes agressivo.

O resfriamento provocado pelo aparelho de ar-condicionado deixa o ar mais frio e mais seco, diminuindo naturalmente as defesas do aparelho respiratório. Saiba como:

Ar frio e seco X defesas do organismo

a higienização e a manutenção adequadas são importantíssimas para manter o ambiente saudável

Os brônquios – que produzem o muco pulmonar e estão presentes dentro dos pulmões – contêm cílios que se movimentam 24 horas por dia, independente da respiração. Estes cílios são responsáveis por expulsar do pulmão poeira e partículas que podem ser prejudiciais ao nosso corpo.

Nesse processo contínuo de proteção, o ar-condicionado é considerado um vilão: com o ar seco, o muco fica ressecado e pode grudar nas paredes do pulmão; com o frio, os cílios perdem sua mobilidade e afetam a defesa do organismo.

Outro risco com o aumento brusco da utilização do ar-condicionado no verão são as infecções respiratórias. Se os tubos do aparelho – ou do sistema de ar-condicionado de uma empresa – estiverem contaminados por bactérias e fungos (o que é bastante comum), por exemplo, ao inalar esses micro-organismos o ser humano aumenta suas chances de contaminação infecciosa.

“Não é que as pessoas devam deixar de usar aparelhos de ar-condicionado no calor excessivo, mas a higienização e a manutenção adequadas são importantíssimas para manter o ambiente saudável”, explica o pneumologista do Einstein, Dr. Arthur Rothman.

Portadores de doenças pulmonares e respiratórias, alérgicas e crônicas, são mais sensíveis às alterações que o ar-condicionado provoca no organismo, e precisam ficar ainda mais atentos à higienização do aparelho.

Não existe diferença entre o ar-condicionado de casa, o do trabalho ou o do carro. “A recomendação é descobrir de quanto em quanto tempo cada aparelho precisa de manutenção”, afirma o médico.

Fonte: http://www.einstein.br/einstein-saude