Central de agendamento: (19) 3886.2444 | 3876.3435 | 3836.3839 | 3836.3894 | Facebook

LESÕES PROVOCADAS POR ÁGUAS-VIVAS

Número de casos no Brasil aumentou. Saiba como tratar as “queimaduras”

Águas-vivas são animais invertebrados que, para capturar suas presas, liberam cápsulas venenosas chamadas nematocistos. Quando entram em contato com a pele humana, estes nematocistos liberam toxinas proteicas capazes de causar uma série de danos à pele e a órgãos internos.
Como suspeitar
Devido à sua transparência, a água-viva nem sempre é vista no mar. Deve-se suspeitar de ferimento relacionado a este animal quando ocorre dor latejante, coceira e vermelhidão delimitados na pele após banho de mar. Na maior parte das vezes as lesões surgem poucos minutos após o contato com a água-viva e são bem delimitadas.
Tratamento
Primeiros Cuidados
– Remoção dos tentáculos e dos nematocistos lavando a pele com água do mar. Não tocar na água-viva com a mão no caso de estar aderida à pele. Se disponíveis, podem ser utilizados um cartão de banco (ou objeto semelhante) e espuma (como a de barbear) para a remoção dos nematocistos;
– Aplicar vinagre na região do ferimento;
– Lavar lesões oculares com soro fisiológico;
– NÃO aplicar água potável fresca ou álcool ou azeite ou loções nas lesões;
– NÃO esfregar a lesão de forma vigorosa;
– NÃO urinar nas lesões.
Cuidados Domiciliares
– Após remoção dos nematocistos: banho quente ou imersão do local do ferimento em água a 40-45ºC por 20 minutos (na ausência de termômetro, utilizar a maior temperatura tolerada testando em regiões de pele sadia);
– Uso de analgésicos para controle da dor.
Quando procurar um médico
– Dor intensa e persistente no local do ferimento;
– Acometimento dos olhos;
– Lesões avermelhadas difusas pelo corpo;
– Inchaço ao redor dos olhos e/ou lábios;
– Sensação de falta de ar e/ou dificuldade para respirar;
– Sensação de queda de pressão e/ou fraqueza intensa e/ou desmaio.
Fonte: https://www.einstein.br