Central de agendamento: (19) 3886.2444 | 3876.3435 | 3836.3839 | 3836.3894 | Facebook

OCITOCINA: O HORMÔNIO DO AMOR ?

Estudos científicos associam a substância ao cuidado materno, desenvolvimento da confiança e da empatia. Saiba mais

Você já ouviu falar sobre a ocitocina, o hormônio do amor? Produzida no hipotálamo e armazenada na neurohipófise (estruturas cerebrais), a ocitocina passou a ser associada ao sentimento de amor por estar presente, segundo pesquisas científicas realizadas em animais e seres humanos, em situações de cuidado materno e no desenvolvimento da confiança e a empatia, afirma o ginecologista do Einstein, Sérgio Podgaec.
“Entre as principais funções da substância estão a promoção das contrações uterinas durante o trabalho de parto e o estímulo dessa mesma atividade do útero logo após o parto, além de estimular a liberação de leite materno durante a amamentação”, diz o especialista.
As áreas cerebrais atividades para a produção e armazenamento da ocitocina também têm ligação com a produção e liberação de outros hormônios, como o TSH (hormônio que estimula o funcionamento da tireoide) e o FSH (hormônio que atua na regulação do ciclo menstrual).
Benefícios da ocitocina
A ocitocina pode ser utilizada para induzir (iniciar) o trabalho de parto e corrigir alguma alteração ou disfunção nas contrações. Porém ela só deve ser utilizada quando houver indicação médica, ou seja, sua aplicação não deve ser feita rotineiramente durante o trabalho de parto.
Esse hormônio também reduz a ocorrência de hemorragia no período pós parto por promover a contração uterina após a retirada da placenta. Além disso, pode auxiliar na liberação do leite, utilizada como spray nasal, em mulheres que apresentam alguma dificuldade na amamentação, explica o dr. Podgaec.
Fonte: https://www.einstein.br