Central de agendamento: (19) 3886.2444 | 3876.3435 | 3836.3839 | 3836.3894 | Facebook

Ossos do corpo merecem certos cuidados desde cedo

Como cuidar da saúde dos ossos em diferentes etapas da vida adulta

 

As crianças precisam se alimentar bem para crescer com ossos fortes que aguentam os tombos de bicicleta. Os idosos, principalmente as mulheres, precisam se preocupar com a osteoporose que deixa os ossos frágeis. E os adultos de 20 a 50 anos, deixam o esqueleto no segundo plano? De fato é isto o que acontece, mas não deveria ser assim.

O pico de massa óssea acontece mais ou menos quando fazemos 30 anos e a partir daí a densidade mineral óssea começa a cair progressivamente. É por isto que devemos cuidar dos ossos antes desta idade, para que eles alcancem saúde máxima a tempo, e especialmente depois, para que sofram menos com este declínio natural.

Quatro fatores garantem essa saúde e previnem doenças: alimentação, prática de exercícios físicos, exposição ao sol e sono. Confira, a seguir, quais são as recomendações para cada etapa da fase adulta:

– 20 anos: a fase da Educação Física obrigatória no colégio já passou, mas é importante manter o costume até o fim da vida. Os exercícios preservam a absorção do cálcio pelos ossos, além de aumentar a resistência e o metabolismo ósseo. Cuidado com a alimentação: uma dieta rica em vitaminas e sais minerais deve incluir ainda porções ideais de cálcio. Leve verduras, derivados do leite e carnes brancas para toda a vida.

– 30 anos: exponha-se ao sol, mas sempre com filtro solar e moderação. Tomar sol nos horários recomendados – antes das 10h e após as 16h – estimula a produção de vitamina D sem colocar a sua pele em risco. Evite o sedentarismo e abandone o vício do cigarro (além dos malefícios conhecidos, o cigarro diminui a função da célula responsável pela produção da matriz óssea).

– 40 anos: procure dormir cedo, dormir bem e dormir bastante. É durante o repouso que o organismo libera hormônios que ajudam na captação do cálcio ao osso. Também monitore seus remédios, pois o uso de glicocorticoides e de alguns anticonvulsivantes específicos prejudica a qualidade dos ossos. As mulheres devem procurar o ginecologista para fazer um acompanhamento adequado na fase pré-menopausa.

– 50 anos: converse com o seu médico sobre a possibilidade de complementação de vitamina D e cálcio, é agora que o estoque começa a ficar escasso. Passe a visitar o médico regularmente para rastreamento e prevenção, realizando exames como a densitometria para detecção da osteoporose.

Fonte:http://blog.delboniauriemo.com.br/