Central de agendamento: (19) 3886.2444 | 3876.3435 | 3836.3839 | 3836.3894 | Facebook

PORQUE AS MULHERES TÊM TANTA DOR NAS COSTAS ?

Mudanças de hábitos diários podem ajudar com as dores na lombar

Quem nunca ouviu alguma mulher reclamar de dor nas costas devido ao excesso de peso na bolsa? Ou que ela não consegue mais andar sem sapato de salto alto em decorrência de dores nos pés? Qualquer tipo de dor na lombar é sempre um sinal de que algo está errado e merece atenção especial.

Dores nas costas podem ser causadas por simples hábitos errados como sedentarismo, obesidade e tabagismo. Pode ser também uma manifestação de doenças como depressão, fibromialgia, câncer, artrites, hérnia de disco, osteoartrose (bico de papagaio), cálculo renal, aneurisma de aorta, úlcera gástrica, entre outras.

Nas mulheres, em especial, além dos hábitos inadequados e de possíveis doenças, a endometriose e os fatores hormonais podem ser um agravante. Além disso, quem tem seios volumosos deve ter muito cuidado, pois o peso faz a coluna se curvar para frente. Nestes casos, deve-se avaliar o caso para verificar se há necessidade de sutiã apropriado ou até cirurgia para redução das mamas.

As grávidas também sofrem com este desconforto devido ao aumento da lordose, pela obesidade e a liberação do hormônio relaxina perto do parto (que deixa a coluna mais relaxada).

Com todas estas possibilidades descartadas, outro vilão das mulheres são os costumes inadequados, como as bolsas pesadas. Carregá-las em um único ombro faz a coluna ficar sobrecarrega, desequilibra a musculatura, facilita as contraturas e o desgaste das estruturas, podendo causar o aparecimento de hérnias de disco. “A pessoa sai do eixo, ficando torta”, diz a Dra. Evelin Goldernberg, reumatologista do Einstein.

Outra questão importante é o uso de sapatos de salto alto. Quando o salto é superior a 4 centímetros e utilizado diariamente, pode provocar o encurtamento da panturrilha, ocasionando, além das dores na coluna, dores nos pés. Existem também outros fatores de risco que também podemos ressaltar, como:

  • Postura inadequada em frente ao computador;
  • Praticar exercícios físicos sem orientação adequada de um profissional;
  • Noites mal dormidas;
  • Tabagismo, que vem aumentando entre as mulheres;
  • Estresse emocional;
  • Avançar da idade;

Tratamento

O ideal é sempre investigar as causas das dores. “É preciso verificar se é exclusivamente causada pelo estilo de vida da pessoa ou se existe alguma doença por trás”, diz a Dra. Evelin.

A mudança dos hábitos diários também é importante, uma vez que erros de postura crônica podem aumentar o desgaste das estruturas da coluna, provocando problemas mais sérios.

Deve-se evitar curvar a coluna para frente, como quando levantamos da cama, entramos no carro ou simplesmente escovamos os dentes. E a médica alerta: “De preferência, a mulher não deve se estressar, não fumar e praticar exercícios físicos adequadamente”.

Mais um erro comum, dessa vez, por questões culturais, é o auto medicamento. Com o fácil acesso aos medicamentos nas prateleiras das farmácias ou, até mesmo, por indicação das amigas, é rotina do brasileiro tomar remédio quando sente dor. Isso é completamente errado, por que pode mascarar alguma doença grave.

“Ainda vale salientar que o medicamento que faz bem para uma pessoa pode fazer mal para outra. Medicamentos como anti-inflamatórios devem ser usados com cautela em pacientes com pressão alta ou problemas gástricos e renais”, ressalta a Dra. Evelin. Sendo assim, o acompanhamento médico se faz obrigatório.

Também vale ficar atenta a sinais que podem indicar um problema mais sério, como dor noturna, perda de peso e dor acompanhada por grandes fraquezas.

Fonte: https://www.einstein.br