Central de agendamento: (19) 3886.2444 | 3876.3435 | 3836.3839 | 3836.3894 | Facebook

SÍNDROME DO OVÁRIO POLICÍSTICO

 

A Síndrome do Ovário Policístico pode ocorrer durante a vida reprodutiva da mulher, mas é mais comum entre os 15 e 40 anos.

O QUE É A SOP?
A Síndrome do Ovário Policístico (abreviada como SOP) é um distúrbio endócrino sem causa conhecida que gera mudanças nos níveis hormonais da mulher e leva à formação de cistos (espécie de “bolsa de tecido”, que pode ser formada por ar, líquido, pus, etc) nos ovários.

Ela também é responsável por desregular a menstruação e aumentar a produção de hormônio masculino.

1 EM CADA 15 MULHERES EM IDADE REPRODUTIVA SOFRE DE SOP.
Fonte: Associação Médica Brasileira(AMB)

QUAIS SÃO OS SINTOMAS?

É essencial detectar precocemente o distúrbio e começar o tratamento o quanto antes. A SOP se manifesta de maneira bem particular. Então você precisa conhecer os seus principais sintomas para manter a saúde em equilíbrio.

SINAIS NA PELE

Surgimento de acne, pele espessa, oleosa e erupções que lembram verrugas.

ALTERAÇÕES NA MENSTRUAÇÃO

Ciclos irregulares e menos frequentes, menor frequência de ovulação, amenorreia por quatro meses, intensidade acima do convencional e sangramento pela vagina.

CARACTERÍSTICAS FÍSICAS MASCULINAS

Devido ao aumento nos níveis de hormônios masculinos causados pelo distúrbio podem ser detectados excesso de pelos no corpo e no rosto

MUDANÇA DE PESO

Aumento de peso ou obesidade.

DEMAIS SINAIS POSSÍVEIS

Aumento da barriga, infertilidade, queda de cabelo, manchas na pele, entre outros.

O nosso corpo pode exibir diversos sinais diferentes e nos confundir. Não entre em pânico e nem tome decisões baseadas somente nisso. Procure um médico para ter certeza.

O QUE CAUSA A SOP?

Apesar de os fatores que levam ao distúrbio não serem completamente conhecidos pela comunidade médica é possível apontar causas genéticas como uma grande influência. Parentes diretas de quem sofre de SOP têm mais chances de desenvolvê-la.

POR QUE ISSO ACONTECE?

Pelo fato da produção em excesso de insulina ser geneticamente motivada. Com mais insulina no sangue, ocorre o desequilíbrio hormonal que ocasiona a SOP.

COMO É O DIAGNÓSTICO?

O diagnóstico depende de avaliação médica e exames laboratoriais e de imagem. O objetivo é excluir possibilidades, como problemas na tiróide ou na glândula supra-renal.

Costumam ser pedidos os exames abaixo para detectar os motivos das irregularidades menstruais ou manifestações androgênicas:

EXAMES

Dosagem dos hormônios FSH, LH, Estradiol, THS. S-DHE, testosterona total, 17-OH progesterona, curva de insulina associada à curva de glicemia.

O especialista médico que trata da SOP é o endocrinologista, mas a suspeita do distúrbio pode ser levantada por um ginecologista.
Fonte: https://jornadadamulher.einstein.br