Central de agendamento: (19) 3886.2444 | 3876.3435 | 3836.3839 | 3836.3894 | Facebook

VARIZES: NÃO É SÓ UMA QUESTÃO ESTÉTICA

Muito mais do que um inconveniente estético as varizes são um alerta de que algo não está correto com o sistema venoso

Antes te tudo devemos entender que o sistema circulatório divide-se em três partes: o venoso, o arterial e o linfático. Quando falamos em “problema de circulação” é necessário esclarecer qual deles, pois o quadro clínico, o diagnóstico e o tratamento diferem entre os três.
Varizes dos membros inferiores envolvem patologia do sistema circulatório venoso que além de inconveniente estético, é indicativo de problemas venosos nos membros inferiores, que ao longo do tempo se não diagnosticados e tratados corretamente, certamente trarão complicações futuras.

Mas será que tem como evitar as temíveis varizes?

Muitos fatores predispõe o surgimento das varizes, dentre eles, os mais comuns são: herança familiar (parentes próximos com varizes aumentam o risco de se portar a doença), gestação, tipo de trabalho (muito tempo em pé ou sentado com pernas pendentes e atividades que exigem grande esforço físico), sedentarismo e obesidade.
Levando em conta todos esses fatores, temos que ressaltar a importância de se cuidar. Tenha cuidado com o seu peso, o ideal é manter o peso e tentar evitar o efeito sanfona, pratique atividade física e procure não ficar por muito tempo na mesma posição no seu trabalho, todas essas práticas associadas ao emprego de meias elásticas de compressão graduada podem ajudar a diminuir ou prevenir a ocorrência de varizes.

Há tratamento?

Varizes dos membros inferiores são classificadas em telangiectasias (“vasos” finos, superficiais de coloração variável, parecendo pequenos riscos ou “aranhas” na pele), microvarizes (veias com pequena dilatação e extensão limita da, calibre de poucos milímetros) e varizes (veias calibrosas, dilatadas e tortuosas que fazem relevo na pele). Deste modo o seu tratamento é variável de acordo com a classificação. As telangiectasias são tratadas com escleroterapia (ambulatorial, através de injeção, com agulha fina, de substância esclerosante dentro do vaso), as varizes devem ser tratadas em hospital com cirurgia, através de sua remoção e as microvarizes, eventualmente, uma mistura das duas formas de tratamento acima (cirurgia de microvarizes, com anestesia local e/ou escleroterapia).

Se as varizes não forem tratadas corretamente, há risco de provocar embolia pulmonar? E trombose?

Embolia pulmonar é causada, geralmente, pela migração de um trombo no sistema venoso até o pulmão. Isto decorre, habitualmente, pela presença de trombose venosa profunda (TVP) em membros inferiores. Entre as diversas causas importantes para trombose venosa profunda esta a presença de varizes dos membros inferiores, especialmente quando não devidamente tratadas (cirurgia e/ou meias de compressão elástica graduada). Portanto varizes dos membros inferiores em determinadas circunstâncias podem ser causa de TVP e embolia pulmonar.

Embolia pulmonar e trombose. Quais os riscos de se desenvolver esses problemas?

A trombose é o “endurecimento” do sangue que ocorre dentro dos vasos. No caso das veias das pernas, ela pode ocorrer em pacientes com varizes, em pessoas com distúrbios da coagulação que favorecem a coagulação do sangue e principalmente em pacientes acamados e em pós-operatório de cirurgias  ortopédicas, abdominais , ginecológicas, etc…, ocasião em que ocorre uma lentificação do sangue nas pernas. Quando o trombo (sangue endurecido) se descola do vaso, ele segue o fluxo da circulação e muitas vezes ele vai até o pulmão levando a uma situação clínica denominada embolia pulmonar. Tanto a trombose como a embolia pulmonar podem ter consequências leves até casos fatais, como a morte súbita.
Fonte: https://www.einstein.br