Central de agendamento: (19) 3886.2444 | 3876.3435 | 3836.3839 | 3836.3894 | Facebook

VOLTA ÀS AULAS: 9 RECOMENDAÇÕES DA SOCIEDADE BRASILEIRA DE PEDIATRIA PARA A SAÚDE DAS CRIANÇAS

Foi pensando em tudo isso que a Sociedade Brasileira de Pediatria preparou um guia para pais e pediatras. O documento reúne recomendações práticas e fáceis de seguir.

1. Monitore a adaptação aos novos horários e crie uma rotina. Valorize as horas de sono,que são fundamentais para o descanso e o bom rendimento escolar.

2. Dê o exemplo e explique à criança que ela deve ter uma alimentação balanceada e saudável, bem como a ingestão frequente de água. Para isso, monte a lancheira com itens naturais em vez de industrializados. Banana, maçã e uva são boas opções, assim como mix de castanhas  e frutas secas.

3. Cuidado com o tamanho e o excesso de peso da mochila. Para evitar danos (como dores e, mais tarde, desvios da coluna), ela não pode ter mais de 10% do peso do aluno. Por exemplo, se a criança tem 30 kg, a mochila deve pesar no máximo 3 kg. Para isso, ensine seu filho a se organizar e levar apenas o necessário naquele dia. Lembre-se também que a mochila deve ficar acima da cintura da criança.

4. Preste atenção às queixas de dores de cabeça e dificuldade de ler. Elas podem ser sintomas de problemas visuais que requerem uso de óculos. Também é fundamental testar a acuidade auditiva da criança, para descobrir se há alguma dificuldade auditiva.

5. Mantenha em dia o cartão de vacinação de seu filho. Se alguma vacina estiver em atraso, vá a um posto de saúde o quanto antes. Só assim é possível prevenir as doenças transmitidas durante o convívio em ambientes coletivos.

6. Atenção à segurança durante o trajeto de ida e volta. Se for a pé, ensine sobre as medidas básicas para evitar atropelamentos. Se for de automóvel ou transporte escolar, lembre-se que a cadeirinha é indispensável até os 7 anos e meio.

7. Um pouco de ansiedade na volta às aulas é normal. Mas esteja atento aos sinais que seu filho emite. Eles podem indicar que a criança está passando por situações que a deixam desconfortável, como o bullying.

8. Em regiões onde há risco de doenças transmitidas por mosquitos (como dengue, zika, chikungunya e febre amarela), esteja alerta a qualquer sintoma que a criança apresentar. As escolas se preparar com aplicação de inseticidas e eliminação de depósitos de água parada.

9. Pais de alunos que precisam receber algum tipo medicação durante o período escolar devem informar a direção e os professores, para que os horários e doses sejam cumpridos corretamente. Por fim, a consulta pediátrica pode agregar todas essas demandas junto às famílias, atendendo as especificidades de todas as faixas etárias, e por isso é imprescindível.

 

Fonte: www.sbp.com.br