RINITE

 

Rinite é um problema comum em crianças e adolescentes, e interfere diretamente no bem estar físico, social e psicológico dessas pessoas, com impacto negativo na qualidade de vida.

Por definição, rinite é uma inflamação da mucosa nasal, caracterizada por dois ou mais dos sintomas: coriza, espirros, obstrução nasal e/ou prurido nasal. Os sintomas ocorrem durante dois ou mais dias consecutivos, por mais de 1 hora, na maioria dos dias.
A rinite é uma doença comum infância, porém seu diagnóstico e tratamento são um desafio aos pediatras e aos especialistas envolvidos. É muito importante não negligenciar sinais e sintomas apresentados, principalmente pela importância da doença no desencadeamento de outros problemas que alteram a qualidade de vida e a saúde da criança como um todo.

tratamentos para rinite

O tratamento da rinite inclui medidas de controle ambiental, uso de medicamentos e imunoterapia específica. Devem ser orientadas e introduzidas de acordo com a gravidade dos sintomas e sua etiologia.

Medidas de controle ambiental

Algumas mudanças comportamentais são essenciais para que haja menor exposição aos alérgenos e agentes irritantes e, consequentemente, diminuição dos sintomas. Recentemente, a Associação Brasileira de Alergia e Imunologia publicou uma série de medidas para auxiliar esse tipo de paciente, com a finalidade de melhorar de forma marcante sua qualidade de vida (9). Os pais e pacientes devem ser orientados durante as consultas e o controle ambiental deve ser reforçado a cada nova visita.

Eles devem ser lembrados de:

1- Evitar cortinas, tapetes, carpetes e almofadas. Caso sejam indispensáveis, optar por modelos laváveis e sem pelos;
2- Colocar capas impermeáveis nos colchões e travesseiros;
3- Deixar a casa bem ventilada e com exposição ao sol;
4- Evitar bichos de pelúcia, estantes de livros, revistas, caixas de papelão ou qualquer outro local onde possam ser formadas colônias de ácaros;
5- Identificar e eliminar o mofo e a umidade, principalmente nos quartos. Verificar periodicamente as áreas úmidas da casa, como o banheiro;
6- Camas e berços não devem ser justapostos à parede. Caso não seja possível, colocar junto à parede que não tenha marcas de umidade ou que seja a mais ensolarada;
7- Evitar o uso de vassouras, espanadores e aspiradores de pó comuns. Passar pano úmido diariamente na casa ou usar aspiradores de pó com filtros especiais (filtro de água ou filtro HEPA) duas vezes por semana. Afastar o paciente alérgico do ambiente enquanto se faz a limpeza;
8- Evitar que animais de estimação tenham acesso aos quartos e, especialmente, às camas;
9- Higienizar animais de estimação com frequência, de acordo com as possibilidades de cada um;
10- Manter os filtros dos aparelhos de ar-condicionado sempre limpos;
11- Não fumar e não deixar que fumem dentro da casa;
12- Remover o lixo e manter os alimentos fechados e acondicionados, pois esses fatores atraem os roedores e baratas. Não armazenar lixo dentro de casa.
Fonte: https://www.portalped.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *